Lacrimaniacos

Click here to edit subtitle

Forums

Post Reply
Forum Home > Lacrimosa e Noticias > Entrevistas (1999 / 2003)

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

Entrevista de Tilo Wolff à Lu Wolff - Lacrimosa Brasil Fan Club - Janeiro de 2003

 

- Eu soube que o novo álbum, Echos, foi inspirado na trágica inundação que aconteceu na Europa Central em Agosto do ano passado. Isso é verdade?

TW - Não. Não é verdade. O álbum já estava totalmente composto e nós estávamos no meio do processo de produção quando a inundação aconteceu. E, na realidade, eu nunca escreveria nenhum tipo de música com letras falando da tragédia que aconteceu com o povo.

 

- Quanto tempo você levou com a gravação do Echos?

TW - Gastamos apenas cinco meses.

 

- Olhando para os títulos das músicas, Echos parece seguir o mesmo modelo do Fassade e do Elodia, com um tema central dividido em capítulos. Esse álbum também conta uma história? Do que ela se trata?

TW - De certa forma ele conta uma história. Mas na verdade não foi planejado dessa forma. Quando estávamos nessa longa turnê. Bem, eu vou ter que começar diferente...

O fato é que eu componho constantemente. Eu nunca me sento e penso: "Bem, agora eu vou começar a escrever". Existe todo um processo em andamento e durante a longa turnê do Fassade, não tive a possibilidade de compor. Quando nós voltamos, havia tantas emoções e sentimentos próximos de vir à tona. O processo de escrever o álbum foi muito curto e compacto, que aconteceu, eu não sei, acho que em quatro meses ou coisa assim. Eu escrevi o álbum todo e não tinha pensado nele como um todo no começo, eu só percebi um dia, que nós tínhamos que ir para o estúdio para poder gravar o álbum no sentido mais puro.

Estava tudo fresco e as emoções estavam ainda conosco e, no estúdio eu percebi que as músicas estavam ligadas entre si, porque todas foram escritas num único período de tempo, de um mesmo sentido, um mesmo sentimento. Portanto, elas estavam ligadas umas às outras.

E estavam ligadas entre si nesse sentido, contando uma espécie de história de uma busca. É como quando começa a considerar que nós somos um produto da cultura na qual nascemos, e que nós somos também produtos das coisas que aparecem em nossas vidas. Elas são ecos do passado que nos fizeram ser o que somos agora, e o que somos agora, hoje, no presente, é novamente responsável por como nossa vida futura será. Que tipo de decisões tomaremos, como lidaremos com nossa vida futura, em tudo o que ela está baseada e em tudo o que aprendemos até agora. Os ecos do passado nos trazem ao presente, vivendo nos moldes atuais e novamente influenciam nossa vida futura. Esse é basicamente o tema desse álbum.

 

- Nós já sabemos que vocês não vão sair em turnê esse ano, certo?

TW - Infelizmente é verdade.

 

- Você poderia me dizer o por quê? Existe uma razão específica?

TW - Sim, claro! Porque nós temos estado constantemente compondo ou produzindo no estúdio, ou tocando ao vivo no palco. Desde o começo do ano que terminou agora, sem nenhum intervalo. Anne Nurmi e eu precisamos de um descanso, depois da longa turmê do Fassade. Mas como eu disse antes, quando voltamos eu não pude ter esse descanso, tinha muito que fazer, tinha que escrever as letras e as músicas e então o novo álbum chegou. Agora, finalmente poderemos fazer uma pequena pausa (risos).

 

- O que vocês planejam fazer durante esse ano? Vocês estão pensando em produzir um novo vídeo-clipe?

TW - Nós temos filmado um vídeo-clipe para o single Durch Nacht und Flut e talvez nós lancemos num futuro próximo, uma espécie de "video-collection" porque temos feito, como você deve saber, vídeos dos álbuns anteriores, mas não lançamos vídeos dos últimos álbuns. Portanto, vamos fazer uma espécie de coleção em vídeo e DVD para um futuro próximo.

 

- Eu notei que existe uma pequena influência de música eletrônica no seu trabalho atualmente. Você gosta de música eletrônica? Existe alguma influência de música eletrônica nesse último álbum?

TW - Antes de qualquer coisa eu devo dizer que eu gosto de música eletrônica no sentido em que ela era feita nos anos 80. Claro, bandas como Depeche Mode e todas as "New Romantics", eu também gosto muito da produção EBM. Mas não gosto muito da nova música eletrônica do tipo Techno.

 

- Vocês estão usando um pouco de cores nas capas de seus álbuns agora. Por que vocês decidiram fazer isso?

TW - Nós sempre tivemos duas linhas de capas. Existem as capas dos álbuns que são pinturas em preto e branco e existem as capas dos singles que também eram, até agora, preto e branco, por outro lado, apresentando algumas vezes, fotos coloridas ou coisas assim. Dessa vez nós fizemos essa seção de fotos para o single Durch Nacht und Flut, que significa Através da Noite e Inundação. Fizemos à beira-mar, e existe uma tomada da chegada da noite. Nós começamos a fazer essa seção de fotos lá na praia e aos poucos a inundação veio e pegamos essas fotos para o single. Então elas serviram perfeitamente. Essas fotos para a música, porque a foto colorida capturou.

Ela deu a impressão da música, seu poder, suas emoções profundas nas quais a música é baseada. Mas essa foto é sem movimento nenhum, mas as cores imprimem esse tipo de poder, um reflexo diferente de toda a situação. Então essa foi a razão pela qual decidimos realizá-la colorida.

 

- Olhando para o nome e letra de algumas músicas como Réquiem, Der Ketzer, Crucifixo, Sanctus e a novíssima Kyrie, a gente pode notar uma espécie de conexão com idéias religiosas. Por que isso é tão freqüente? Você é religioso?

TW - Eu sou uma pessoa bastante religiosa. Eu fui inspirado, influenciado pela música religiosa. Eu mesmo cantei num coral numa igreja. Claro, significa muito para mim, influenciou minha vida toda e, desde que o Lacrimosa é tão ligado à minha vida pessoal, claro que são também sentimentos como esse em que são baseados minhas crenças religiosas e que estão também em minhas letras e músicas.

 

- Você sabe alguma coisa sobre o Brasil?

TW - Pra falar a verdade, eu sei um pouco. Eu sei que as pessoas têm um coração caloroso! Bem, ao menos eu acredito que tenham um coração caloroso! (risadas).

 

- Elas têm mesmo! E você provavelmente terá pessoas gritando o tempo todo durante seu show aqui no Brasil!

TW - Isso soa muito bem! (risadas).

 

- A Nuclear Blast está tomando conta de seus álbuns aqui no Brasil agora, certo? Você acha que isso vai ser melhor para promover seus álbuns por aqui?

TW - A razão principal é que, Anne Nurmi e eu tivemos que escolher se queríamos continuar com a Hall of Sermon da maneira como fizemos o ano passado, lançando outras bandas, ou nos concentrarmos mais em nossa música. E nós decidimos que o Lacrimosa é mais importante do que o selo Hall of Sermon. Nós decidimos nos concentrar mais no Lacrimosa novamente, então, nós também decidimos licenciar o álbum novo do Lacrimosa à Nuclear Blast em certos países, então eles fazem o marketing e a distribuição do álbum e nós podemos nos concentrar mais na música e também nos concentrar no mercado em que trabalhamos com a Hall of Sermon porque em muitos países ainda existem lançamentos com esse selo. Existe muita coisa a se fazer e nós queremos fazê-las 100%. Nós não podemos tomar conta de todo esse trabalho sozinhos.

 

- Quando vocês planejam começar a turnê do Echos? Ano que vem?

TW - Por enquanto nós não podemos planejar nada. Eu não sei se nós sairemos em turnê no ano que vem. Eu adoraria, porque às vezes sinto falta de ir para o palco. Mas por enquanto não existem planos definidos.

 

- Falando das Américas, nós sabemos que vocês têm uma enorme audiência no México. Você tem idéia de quantos fãs vocês têm no Brasil?

TW - Pra falar a verdade, eu não tenho idéia (risadas).

 

- Bem, eu estou encarregada de tornar esse número bem grande! (risadas) Você gostaria de dizer alguma coisa para os fãs brasileiros?

TW - Eu quero dizer algo pessoalmente para você, porque quero agradecer muito, e isso inclui a opinião da Anne também! Nós dois queremos agradecer pelo esforço que você faz pelo Lacrimosa. Seu excelente trabalho, o apoio que você nos dá, isso é realmente inacreditável!

 

- Eu sou profundamente grata pela oportunidade que você está nos dando de obter todas essas informações, e os fãs brasileiros ficarão malucos com elas! É um grande prazer trabalhar pelo Lacrimosa! A Anne não está aí hoje, está?

TW - Não no momento. Ela não pode dar nenhuma entrevista hoje.

 

- Sem problemas. Mande um grande abraço a ela!

TW - Claro que mando!

 

- Eu quero agradecer mais uma vez por essa oportunidade que você deu ao Lacrimosa Brasil Fan Club. E vocês podem contar comigo para qualquer coisa que precisarem para ajudá-los aqui no Brasil.

TW - Muito gentil da sua parte! Muito obrigado.

 

- Um grande abraço a você e a toda equipe da Hall of Sermon!

TW - Muito, muito obrigado. Tenha um bom dia! Até mais!

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

December 13, 2014 at 4:56 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

VIDEO - Entrevista - Sonic Seducer - Traduzida PT-BR


Entrevistador: Quais foram as suas origens musicais, quero dizer, Elodia foi um álbum-conceito com orquestra; enquanto Fassade já é uma sinfonia completa, de um modo geral.

 

Tilo: Dizendo origens, você está perguntando sobre inspirações musicais ou ..

 

Entrevistador: inspirações musicais e também as suas origens musicais e também o que realmente significa Fassade ..

 

T: Então, na primeira linha eu realmente não posso citar um artista concreto, cuja música me inspirou, porque geralmente isso funciona da maneira que eu escrevo a música com o coração e alma, e quando a música de algum artista significa muito para mim isso acontece, em vez contragosto que sua música me inspira porque ela fica na minha cabeça, mas eu não posso nomear alguém concreto .. certamente, como sempre, e eu acho que eu diria que, nos próximos 10 anos, bem como (se eu ainda vou ser capaz de fazer música), Mozart sempre foi uma grande fonte de inspiração para mim, Vivaldi, mas por outro lado eu gosto de ouvir musicais, bem .. muitas vezes eu sou inspirado por coisas que na verdade não tem nada a ver com o que eu faço , talvez eu vou explicar melhor sobre isso como exemplo do álbum Angst, neste momento eu costumava ouvir Bauhaus uma e outra vez, esta banda tem neste momento o meu sonho de sentido musical completa definido, eu quase não ouvia qualquer outra música , e muitos desses sentimentos que eu experimentei com aqueles música me inspirou e eu expressa-los em Angst-CD. Mas quando eu tentei comparar essas duas coisas, eles realmente não têm nada a ver um com o outro. Mais tarde, o pensamento se cristalizou na minha cabeça, que quando inspirações vêm a mim de fora, parece que eu adaptá-los em uma forma completamente diferente. A razão para isso é que eu não posso ficar para além de algumas coisas, amor, discussões, eu amo falar sobre essas coisas e sentimentos que alguém traz para mim, para pensar sobre eles, mas só então eu posso acompanhar a discussão e os argumentos quando eu o tenho completo, compreendeu plenamente a coisa. e trabalha com a música da mesma forma, e neste processo eu entendi que sempre adiciono algumas coisas de mim mesmo, então ele "reage" uns com os outros e algo novo sai. De modo a voltar ao tema, às inspirações, como eu escuto muitas coisas no momento, bandas como por exemplo, (...) Garbage, Portishead, ou a partir do estilo de metal Gorefest, Benediction, todas essas bandas que eu gosto de ouvir, a lista é realmente infinitamente longa, que todos certamente tem alguma impressão sobre o que eu faço. Em geral é para que, em princípio, eu não tenho planejado esta "trilogia", mas sim eu queria expressar musicalmente o conteúdo do que eu escrevi em Fassade I letra (e naquela época que era a única parte já existente). e quando eu já tive essa música pronta Tenho notado que musicalmente e, literalmente, eu não disse tudo, porém, eu não senti esta liberdade que eu costumo sentir em tais situações. Então eu escrevi a segunda parte e a música, e eu experimentei uma sensação semelhante, no entanto eu me senti um pouco melhor, vamos dizer. E, finalmente, depois de escrever a terceira parte eu pensei que agora eu já disse tudo o que eu queria dizer sobre este tema. E por isso este ciclo Fassade e a faixa escondida, Liebesspiel, foi criado durante esse processo de compor.

 

 

 

ASSISTA O VIDEO

 

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

December 13, 2014 at 8:35 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

Data: 1998

Fonte: Metal Hammer

Tradução: Karina Pinotti

 

Deus Gothic - 1998, © Metal Hammer


 

Tal grupo é difícil de imaginar. Tilo Wolff e seu grupo criaram um império gótico, em certo sentido, tornou-se um mentor para muitas bandas góticas. Após o lançamento de cinco álbuns e vários singles, Lacrimosa finalmente decidiu gravar um álbum ao vivo. Então, houve um duplo ao vivo, em que as melhores músicas da carreira da banda. Talvez faltando alguns hits, mas a música, no entanto, com base deste grupo se reflete nas várias composições recolhidos no álbum ao vivo.

 

 

 

 

- Como surgiu a idéia de criar um álbum ao vivo?

Tilo: Havia muitas razões. A primeira deles - é que nós ainda não gravamos um álbum ao vivo, e realmente queriamos fazer isso. A segunda razão - é que recebemos um monte de cartas de fãs pedindo para lançar um álbum. Uma terceira razão foi o fato de que nossas músicas soam diferente ao vivo do que em estúdio. Em concertos somos quase outro grupo.

 

- Essas músicas no álbum foram tiradas de um único show? Ou é uma amostra de toda a tour, como um todo?

Tilo: Nós escolhemos as músicas que foram melhor executadas em shows. Por isso, é - uma coleção com alguns concertos. A peça foi realizada durante uma tour em Nuremberg, parte - em Leipzig. Só não posso dizer todos, mas todas elas foram rocadas na Alemanha.

 

 

- Então em alemão a atmosfera do concerto foi o melhor?

Tilo: Se falamos sobre o nosso grupo, é verdade. Lacrimosa na Alemanha é muito popular, e os nossos concertos na Alemanha tem uma atmosfera muito especial.

 

- Por que você decidiu fazer um álbum duplo?

Tilo: Por razões muito prosaicas. No repertório de Lacrimosa tem muitas dessas músicas que os fãs mais gostariam de ouvir no álbum. Por este disco não são apenas o ajuste. Além disso, as músicas são bastante longas, e a capacidade do CD é limitada. Portanto, a forma mais adequada para nós e para os fãs foi um duplo.

 

- A arte da capa decora este novo palhaço triste, sozinho no palco na frente de uma multidão de formas estranhas. O que você pode dizer sobre esta capa?

Tilo: Ela está associada com o álbum Stille. Estas duas capas - capa de Stille e do ao vivo são muito similar. Stille - álbum anterior a este concerto, portanto, simboliza o momento em que o viria o próximo álbum - Live.

 

 

- Qual dos seus álbuns é o melhor para o concerto?

Tilo: Eu não posso dizer sobre o álbum inteiro, porque cada um deles tem uma composição tal que é absolutamente impossível de se apresentar no concerto, mas há aqueles que são tipicamente tocadas no concerto. Com cada álbum que escolho a composição em cada caso, mas, talvez, o último álbum aqui seria bom.

 

- O que traz a você mais satisfação - o trabalho no estúdio ou as performances ao vivo?

Tilo: São duas coisas diferentes em estúdio e ao vivo uma série de impressões completamente diferente. Eu amo essas duas formas do grupo. Depende do meu humor, às vezes eu gosto de me fechar no estúdio, às vezes eu mal posso esperar para o concerto.

 

- Como você acha que o seu álbum ao vivo é diferente de outros álbuns ao vivo?

Tilo: Sim, especialmente quando se trata de comparar com versões de estúdio das mesmas músicas. Em concerto, chegamos à execução diferente, por isso essas músicas tem um caráter um tanto diferente. Nós gostamos do nosso jeito, como a improvisação. Nossa música está mudando, as alterações de texto também a cada concerto do Lacrimosa - fantástico.

 

 

- Você acha que é uma ocasião para chamar suas performances ao vivo de mais impressionantes, concertos, ao contrário de outros grupos?

Tilo: É claro que não é o mesmo. No entanto, eu não gosto de comparar Lacrimosa com outros grupos, porque é incomparável. (risos)

 

- Qual é a sua prioridade durante apresentações ao vivo?

Tilo: Loucura!

 

- O que quer manter em sua memória neste concerto, o que especialmente corresponderia a esta definição?

Tilo: Sim, um concerto que jogamos este ano na capital do México. Foi realmente explosivo, um desempenho louco ...

 

- Existe alguma chance de que Lacrimosa finalmente se apresentará na Polônia?

Tilo: Claro, mas não este ano. Estamos planejando uma visita à Polônia, em 1999.

 

 

- Uma pena que tão tarde. O que explica esse tempo limite?

Tilo: Estamos sempre ocupados. Além disso, em setembro pretendemos entrar em estúdio para gravar um novo álbum. Eu acho que vamos terminar a gravação no final deste ano. Novo álbum do Lacrimosa vai nascer em 1999. (risos)

 

- Você já sabe alguma coisa sobre o assunto da natureza do novo álbum?

Tilo: Eu vou te dizer apenas que será uma continuação musical do Stille, não tenho a intenção de gastar qualquer revolução no grupo.

 

- Gostaria de dizer alguma coisa no final de nossa conversa para seus fãs na Polônia?

Tilo: Sim, é claro! Eu realmente quero agradecer a todos aqueles que nos apoiam, que vêm aos nossos shows, todos os ouvintes da nossa música. Eu prometo que chegaremos a Polónia, desculpe, não este ano. Vamos visitá-los em nossa nova turnê, que vai ser muito especial. Nos vemos lá!

 

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

February 1, 2015 at 6:45 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

Entrevista com Anne Nurmi em 9 de junho de 1999. Por: Nicolas Chevreux.

Tradução: Karina Pinotti

 

- Lacrimosa é agora uma banda muito famosa na Alemanha e na Europa Central, mas ainda tem um longo caminho a ser feito. Gostariam de mudar isso ??

 

Anne Nurmi - Claro, nós queremos absolutamente esperamos chegar a esses países. Na América do Sul, Lacrimosa é muito bem conhecida. De alguma forma, em países como México, Argentina ou no Brasil, as pessoas acham Lacrimosa muito exótico. Cantar em alemão é muito exótico. O engraçado é que nós realmente gostamos deles. A América é um mercado muito difícil de conquistar. Estamos trabalhando nisso. Tentamos ser gradualmente mais populares por lá, mas não há qualquer garantia assegurada.

 

- Acredito que poderiam tocar ao vivo lá?

 

Anne Nurmi - Gostaríamos disso, mas eu acho que seria tão caro que. Continuaremos a trabalhar em fazer Lacrimosa mais famosa em todo o mundo (risos)

 

- Posso perguntar-lhe qual é a sua canção favorita no álbum?

 

Anne Nurmi - Minha música favorita do álbum muda a cada dia. Depende do meu humor. Eu realmente gosto de nossa simples "alleine zu zweit". mas, por enquanto, eu estou de alguma forma no estilo mais hardcore, e eu gosto mais de "dich zu mir toten fie schwer". e qual é o seu favorito?

 

- Talvez é "Halt mich". Qual música gostariam de tocar durante o show?

 

Anne Nurmi - A número 6 "dich zu mir toten fie schwer".

 

- E essa a o que você ouve no momento?

 

Anne Nurmi - Todos. Meus antigos favoritos são David Bowie,Japan, Bauhaus, todas essas bandas góticas dos anos 80. Eu também gosto de Aerosmith, HIM, Pink Floyd, na verdade, tudo. Ouça material do pop ao death metal.

 

- Voltando à Lacrimosa, você pode nos dizer quem é Elodia, e essa é a história contada neste disco?

 

Anne Nurmi - O nome "Elodia" foi tirado da mitologia grega. ela é uma semi-deusa do amor que está fadada ao fracasso. Esta figura entrou no mundo de Lacrimosa com o disco "inferno". é uma mulher com asas. Se encaixa perfeitamente na história que contamos disco, a história de uma relação de duas pessoas que se amam, mas ao longo dos anos se esqueceram de cuidar do relacionamento e se esqueceram de pedir e prestar atenção aos desejos um do outro e lentamente acabam em duas direções diferentes. Nesses três capítulos, como era a relação que, como se desenvolveu e como ela termina.

 

- As letra Tilo Wolff costumava ser muito pessoal. É a mesma coisa com essa história?

 

Anne Nurmi – Está próximo de quem viveu, mas não nós. Quando escrevemos as letras que foram inspiradas por um dia normal, amigos próximos, e a história de suas vidas e alguns deles permaneceram em nossas mentes. A história que contamos em Elodia de fato aconteceu com um dos nossos melhores amigos, um casal muito próximo. E há certos elementos de nossa vida real que nós aprendemos com eles.

 

- Não é difícil cantar com Tilo "" Dich zu mir Toten schwer fiel "??

 

Anne Nurmi – Não é no sentido de matar uma pessoa. E sim matar os sentimentos. depois de duas pessoas terem se separado, eles começam mentalmente e fisicamente a se livrar de coisas que os lembra da outra pessoa até chegar a uma separação completa. e essa é a nossa forma de matar lentamente todos os tipos de emoções e memórias.

 

- Você pode nos dizer como é a criação de uma música para o Lacrimosa? Tilo faz tudo ?? em que nível é a sua participação ?? outros músicos participam ??

 

Anne Nurmi - Basicamente, o processo é escrever letras, em seguida, juntar. Uma vez que a inspiração começa, a maioria das vezes é a noite, fazemos juntos, um dos dois dá uma ideia para a música e começa a fazer, tocar no piano ou teclado e a salva no computador. Não há muitas canções que começamos juntos. Por outro lado, Tilo faz tudo por conta própria. das minhas músicas, eu começo a músicas e Tilo me ajuda. Eu nunca tive habilidade de compor em uma banda antes, então eu não estou acostumado a compor com o computador. em seguida nós guardado as canções em um álbum e vamos para o estúdio e peça por peça é substituída os sons do computador por instrumentos reais. Porém as vezes os músicos não tem todas as notas em sua frente.

 

- Eles criam nada ??

 

Anne Nurmi - Não, eles não fazem

 

Pensa que o fato de tocar com músicos ao vivo pode ter alguma influencia nas músicas de estúdio?

 

Anne Nurmi - não, isso não tem nada a ver. Temos certas visões antes de gravar o álbum. som ao vivo é parte do conceito. Na verdade, temos imagens claras de como o novo álbum deve soar. Eu acho que se trata do que ouvimos o tipo de música que gostamos o momento em que fazemos as canções. Não acho que tocar ao vivo tem algo a ver. Nós escolher o sons e como ela deve ser tocada a ao vivo.

 

- Ultimamente, Tilo tem vindo a trabalhar com outras bandas, Kreator. Você gostaria de fazer o mesmo e trabalhar em outros projetos?

 

Anne Nurmi - Infelizmente, não temos muito tempo, portanto, para Kreator foi uma exceção. Tilo tem sido convidado a fazer uma participação em Dreams of Sanity. Foi uma coisa muito especial que o cantor lhe pediu para cantar e Tilo é um grande amigo e eles gostam de Lacrimosa e de nossa música, especialmente a voz de Tilo. Ele queria combinar e fazer um dueto. Tilo realmente entendeu e um ao outro e sua criatividade e, em seguida, ele quis. Se há coisas especiais, estamos abertos para tudo, mas nós não estamos oesperando para ser convidados.

 

- e você se interessaria em um projeto solo ??

 

Anne Nurmi - Não. Eu não tenho a necessidade disso.

 

- Gostaria de dizer algumas palavras, e você só responder com a primeira coisa que vier a sua mente.

 

- Lacrimosa?

Anne Nurmi - lágrimas fluindo

 

- Romantismo?

Anne Nurmi - Roupas bonitas

 

- Preto e branco?

Anne Nurmi - Meu mundo

 

- Gótico?

Anne Nurmi - Música melancólica

 

- Musica?

Anne Nurmi - Vida

 

- Religião?

Anne Nurmi - Grande parte da minha vida

 

- Finlândia?

Anne Nurmi - Onde estão os meus amigos próximos e onde meus pais moram.

 

- Suíça?

Anne Nurmi - Casa

 

- Como aprendeu a cantar? Tilo é seu professor?

 

Anne Nurmi – Mais ou menos. Sobre isso, eu venho cantando cerca de um ano e meio em coro de igreja.

 

- Você pensa que cantar em Inglês e Alemão, é diferente ??

 

Anne Nurmi - Para mim, é muito diferente. Tenho vindo a aprender Inglês desde que eu estava na escola aos meus 9 anos. Com o alemão, eu tenho praticado por 5 anos. Assim, cantar em alemão ainda é um pouco complicado para mim.

 

- Você gostaria de cantar em finlandês?

 

Anne Nurmi - Eu adoraria, quando tenho inspiração para uma letra em finlandês, mas eu nunca faço, Não sei por que, não me inspirar por completo, é uma língua muito difícil.

 

- Lacrimosa é famosa na Finland?

 

Anne Nurmi – Mais ou menos, com o nossa distribuidora, temos um nome melhor na Finlândia, mas ainda é pequeno.

 

- O que você acha de Sanguis et cinis, cujo som se assemelha ao de Lacrimosa ??

 

Anne Nurmi - Soa parecido, mas eu não posso explicar, falta-lhes uma alma para a música. Não é emocionante para mim.

 

- Se parece com uma cópia de Lacrimosa?

 

Anne Nurmi - Não! nós falamos com eles. Lacrimosa é mais ou menos uma inspiração para eles, mas eles têm vindo a fazer o seu caminho. Na verdade, são duas bandas diferentes, por isso não há problema.

 

- Quais foram as perguntas mais frequentes durante as entrevistas mais recentes?

 

Anne Nurmi - Basicamente tudo sobre como e porque aconteceu a gravação junto a Orquestra Sinfônica de Londres. Alguns pensaram que era por razões comerciais, é uma pena.

 

- Uma última palavra em finlandês?

 

Anne Nurmi - ( Diz algo finlades)

 

- O que isso significa?

 

Anne Nurmi - Recorde que a esperança deve ser mais forte e maior do que qualquer problema. Os seres humanos não são capazes de ver atrás das esquinas, por isso é impossível para nós ver que tipo de solução terá para os nossos problemas lá, nós teremos no dia seguinte, se tivermos paciência para esperar.

 

- O que fazer de manhã depois de uma ressaca enorme?

 

Anne Nurmi - Você só precisa de um Alka-Setzer, é claro que você deve tomar antes de ir dormir. Definitivamente não vai ter uma ressaca na manhã seguinte.

 

- Funciona?

 

Anne Nurmi - Sim, sim ele funciona (risos)

 

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

March 13, 2015 at 10:54 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

Data: 24/01/2003

Fonte: rockezine

Tradução: Karina Pinotti

 

Meu primeiro telefone com entrevista ... Não poderia imaginar alguém estar tão nervoso quanto eu, lançada diretamente em águas profundas, com um ato tão maravilhoso como Lacrimosa. Felizmente, o líder da banda Tilo Wolff demonstra ser um excelente parceiro de entrevista e oferece grande quantidade de informações sobre os novos lançamentos.

 


- Porque a nova versão de "Echos", enviar-me em uma fita promocional em vez de um CD?

 

Tilo Wolff - Havia dois tipos de cópias impressas para uso promocional: fitas e uma versão com fade-outs. Parecia que a maioria dos repórteres não gostou das fade-outs, como fizemos com o "Fassade" e, portanto, nós fizemos fitas, para evitar encontrar nossas novas músicas na internet antes que seja a data de lançamento original.

 


- Como é que a Nuclear Blast reagiu a esses atos?

Tilo Wolff - Eu não consigo responder a isso. Estamos assinando contrato de distribuição com a Nuclear Blast há dois anos, e nosso contrato principalmente é via Hall of Sermon, que ainda distribui a nossa música na maioria dos países. Nuclear Blast foi principalmente escolhido para distribuir nossa música nos países onde Hall of Sermon não pode obtê-lo através de nós.


- Então Lacrimosa esta distribuídos por todo o mundo? Como são as reações sobre sua banda, uma vez que 90% de suas músicas são em alemão.

Tilo Wolff - Muito bom, na verdade. Em países como Portugal e Espanha, por exemplo, temos uma base de fãs muito forte. Na França, no entanto, não há praticamente uma base de fãs. É principalmente sobre as línguas que as pessoas falam ou não falam. Nós temos uma forte base de fãs no México, como é estranho que possa parecer. Acho que isso é devido ao fato de que a força da minha música é refletida em ambas as letras, assim como a música. Não é tão importante falar alemão para gostar da nossa música, contanto que a música exerce a mesma sensação das quais as letras são sobre. Além disso, as letras são impressos em alemão e Inglês, para as pessoas que não entendem em alemão podem ter uma idéia do que minhas letras são sobre.


- Notei que você está no credito do álbum de quem escreve as músicas, textos, os arranjos e produção de "Echos". Você é um perfeccionista?

Tilo Wolff - Hahaha, eu não me chamaria de um perfeccionista, mas eu acho que eu sou o único que sabe o que exatamente eu quero fazer com uma canção, sobre o que é uma canção. Você pode passar uma música para os outros, mas eu não poderia obter o resultado que eu quero chegar a esse ponto específico. Eu também acho que é mais pessoal, quando é certo que apenas a própria Lacrimosa (que, aliás, existe dos dois únicos membros; Tilo Wollf e Anne Nurmi) tiveram influências na música. Há, naturalmente, uma grande quantidade de músicos que nos ajudam, juntamente com a gravação, já que eu não toco a maioria dos instrumentos eu mesmo, mas eu e Anne somos os únicos que sabem exatamente o que eu quero fazer com a minha música e os outros, é claro, tem algumas ideias, mas acho que o melhor resultado é quando você faz a si mesmo


- A abertura do Album "Kyrie" dura cerca de 13 minutos. Como é que você faz com canções de tais comprimentos imensos? Você percebe sua música fica marcado inacessível quando você coloca apenas 8 músicas em 65 minutos?

Tilo Wolff - Bem, antes de eu começar a escrever uma canção, eu não tenho absolutamente nenhuma ideia de quanto tempo vai demorar até que eu terminar de escrever. É que, durante o processo de escrita, há certos sentimentos que eu quero expressar na música, bem como nas letras. Com o "Kyrie", eu apenas tive a necessidade de adicionar um bit extra a mais e é assim que cheguei aos 13 minutos. É principalmente porque, quando eu escrevo uma música e há uma passagem que pode ser visto através de ângulos diferentes, tento repetir o refrão e usar instrumentos que completem e diferentes, por exemplo. Só para expressar que há mais maneiras de olhar para um determinado tópico.

 


- Sim, mas não iria fornecer-lhe muito tempo ao ar em estações de rádio?

Tilo Wolff - A única coisa que está acontecendo com a cena musical ultimamente é que as bandas decidiram escrever canções curtas, uma vez que as estações de rádio se recusam a tocar músicas longas. É muito arriscado para uma etiqueta por não ouvirem suas bandas no rádio e na TV para que eles decidam dar essa mensagem as bandas. A indústria da música reduziu-se a uma certa forma de mercantilismo, todo mundo está tentando fazer um lucro fora disso. Enquanto a música, a música é arte. Não é uma forma de um comercial. Eu só quero expressar minhas emoções e eu não posso fazer isso em uma música de 3 minutos. E, desde que há mais pessoas lá fora que compartilham esta opinião, é bom pra mim.


- O novo álbum, então. O single "Durch Nacht und Flut" foi escolhido para anunciar um novo álbum, o meu favorito do álbum. Qual é a sua música favorita do novo álbum?

Tilo Wolff - Primeiro eu gostaria de dizer que você é a primeira pessoa que pensa que esta é a melhor música. Eu tenho feito bastantes entrevistas ultimamente e você é realmente a primeira pessoa que pensa "Durch Nacht und Flut" é a melhor música. Muito engraçado, na verdade, desde que eu não estou muito satisfeito com essa mesmo. É difícil para mim escolher a melhor música, mas se eu realmente, realmente tem que escolher uma música para a famosa "ilha deserta", eu diria "Die Schreie sind Verstummt", a última canção do álbum.


- Quais as características individuais, entre duas versões normais, 3 remixes de canções. O que, onde as reações diante, por exemplo, o remix "Secret Discovery" da música "Komet"?

Tilo Wolff - Há um caso de amor/ódio nessa canção. Algumas pessoas odiá-lo, porque eles preferem a versão original, mas algumas pessoas adoram porque é mais de uma música de dança e, assim, melhor para dançar. Estou feliz que há tantos artistas que remixam músicas do Lacrimosa, eu vejo isso como uma coisa positiva. Zeromancer, por exemplo, eu ouvi deles através do remix de "Durch Nacht und Flut", e eu acho que é bom para ver que existem outras maneiras de interpretar uma canção.


- Como você escreve as músicas? Por quais ocasiões você tira suas influências?

Tilo Wolff - Bem, antes de eu começar a escrever músicas, eu já escrevia contos e poemas, e agora eu escrevo uma música que acompanha a letra não é diferente, na verdade. Na verdade, minhas letras estão a ser visto como uma conversa. É isso, sim, uma conversa com uma pessoa em minha mente. Eu não pretendo escrevê-los como isto ou aquilo, ele pode ir de qualquer maneira e eu acho que deve ser visto e refletido na música em si também. Quando eu estou sentado atrás do piano quando eu escrevo o tom musical direito, vejo que ele tem que ser assim ou assim. O piano ou teclado reflete meus pensamentos, que sinceramente se relacionam com as letras. Pode ser bom para mencionar, que, devido a esta forma de escrita que quase não têm quaisquer sobras de Lacrimosa. A maioria das bandas escrever canções que vêm com uma certa melodia e escrever as letras em torno de uma canção. É talvez por isso que a banda vai para o estúdio e grava um pouco como 20 ou mesmo 30 músicas e tem tantas sobras. Com Lacrimosa, eu não tenho sobras, acho que 99% das músicas que eu escrevo, estão sendo publicados. Em toda a história de Lacrimosa, pode ter 5 ou 6 músicas que não são publicadas.

 


- Você pode me dizer algo sobre o tema geral do álbum?

Tilo Wolff - Bem, muito aproximadamente, é sobre o desenvolvimento. Sobre a sociedade moderna de ser um produto de seu país, de suas famílias. Tal como acontece com a maioria dos álbuns de Lacrimosa, ela se encaixa com o álbum anterior, que era "Fassade". Ele lidou com as influências da sociedade moderna sobre a humanidade, e "Echos" mostra essas influências estão constantemente voltando, como um eco. As coisas mudaram, e mudou novamente mais e mais, assim frequentemente que ele pode ser visto como um eco, que está constantemente viajando de volta no tempo.


- Quais são as suas influências musicais para as canções?

Tilo Wolff - É Wolfgang Amadeus Mozart, que é o grande favorito para mim, Pink Floyd, Joy Division, Bauhaus e eu sou um grande fan de David Bowie. Mas é como um filme, não é sobre a história que ele conta, não a música em si que essas pessoas escrevem, mas o sentimento que você tem quando você as ouve. Essa é a maior influência que eu tenho. Os livros não eu tenho favoritos, já que eu estou com pouco tempo para ler.


- Obviamente, há um novo álbum. Você faltou aos festivais de turismo durante o "Fassade - era". Este álbum é perfeitamente colocado para ser promovido nos grandes festivais de 2003.

Tilo Wolff - Sinto muito, mas não. Não haverá uma turnê para coincidir com o lançamento de "Echos". Nós estivemos em turnê sem parar nos últimos dois anos e comecei a escrever o novo álbum há um ano, quase sem tempo para respirar durante isso. Agora, decidimos descansar um pouco e começar a escrever de novo e depois de um determinado período. Podemos fazer alguns shows em clubes, mas não muitos, se formos a todos. Desculpe.


- Isso é realmente um anúncio não tão agradável. Não só porque eu não terei a chance de vê-lo ao vivo, mas também que eu estou por fora das perguntas. É certo que você não vai?

Tilo Wolff - Sim .. Eu adoraria ir para a Holanda novamente, fomos recebidos de braços abertos a última vez, embora o local não foi vendido para fora. Houve uma boa atmosfera e eu adoraria ir novamente, mas não, não no próximo período.


- Existe alguma coisa que você gostaria de dizer aos nossos leitores?

Tilo Wolff - Bem, não, não realmente. Oh, sim. Uma coisa que eu gosto muito é saber algo sobre o país que eu vou visitar, e ouvir alguns dos artistas locais. Em nosso show na Holanda, me deparei com Anouk, ela é uma cantora holandesa. Você está familiarizado com ela?


- Sim eu estou. Ela está vendendo bastantes CD’s aqui.

Tilo Wolff - Ah, bom. Eu gosto da sua música. Você gosta dela? Tem CD’s?


- (Entrevistador sendo entrevistado) Não, eu não tenho nenhum CD dela. Ela teve alguns hit –singles aqui na Holanda, porém, seu novo álbum acaba de ser lançado.

Tilo Wolff - Bem, se você comprar um, você deve comprar um álbum chamado "Solitude Urban" e, especialmente, uma canção chamada "It Was not Me" é incrível. É realmente só isso, porém. Eu gostaria de dizer "obrigado" para os nossos fãs holandeses por nos receberem!

 

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

April 10, 2015 at 9:27 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

Data: 2001

Fonte: Amboss

Tradução: Karina Pinotti

 

(Por trás da fachada)

Antes de vir para o prazer de admirar Lacrimosa ao vivo durante a atual turnê, eu tive a oportunidade de obter uma pessoa realmente interessante um pouco mais perto. Tilo é um parceiro perfeito para cada entrevistador. Com cada bola que é jogada para ele, ele sabe jogar.

Com o lançamento de uma cassete de músicas do Lacrimosa que fez a mais de uma década atrás, sua poesia, pela primeira vez ao público. Isto foi seguido por álbuns de Dark Wave parece um tipo de processamento lírico da realidade envolvido determinada por um lado a vida emocional muito pessoal do cantor / letrista Tilo descrito, por outro lado, pegou os sentimentos de uma cena inteira em uma roupagem musical. Lacrimosa pertencia em 1994, um dos pioneiros do gothic metal, o que lhe trouxe não só amigos, mas uma cena inteira perturbada. Mesmo com "fachada" Tilo cria um ato de equilíbrio que reúne dois estilos completamente diferentes e novos. Clássica e Goth do metal em uma harmonia sem precedentes. Lacrimosa cria estruturas sólidas, que são cercadas pela emoção e alma, e a transforma em uma erupção explosiva do lado de fora. Ouvir, dançar, pensar, tudo em uma forma comprimida. "Fassade" será um sinal por cem anos no léxico da música Dark.


- Lacrimosa começou como um projeto solo, agora ele cresceu em um duo, como chegou a hora de trabalhar com Anne Nurmi?

Tilo Wolff - Quando eu em seguida, fiz a primeira fita que eu tinha a sensação de que as coisas que eu trago para expressão são muitas vezes ambivalente e envolvem muitos opostos e por uma voz feminina como um contraste ao meu isso seria ainda maior. Eu, então, procurei em vão por uma voz adequada. Ou elas poderiam cantar muito bem, mas não foram capazes de estar na mente de Lacrimosa não puramente ativas ou vice-versa. Eu nunca encontrei alguém que sabia como fazer com soul music dessa maneira. Em 1993, estávamos em turnê e tinha tocado com a banda de abertura que era "Two Witches" da Finlândia, quando Anne tocou teclado e cantou me tocou profundamente. Eu, então, considerando um show deles e, para mim, era claro que eu precisava “pescar” ilegalmente. Ela tinha apenas a paixão no que faz, o que eu sempre quis. Além disso, ela é uma grande cantora e apenas parecia perfeita e também toca teclado, o que é muito conveniente para os concertos. Eu, então, fui perguntando a ela e imediatamente ela tinha um grande desejo de fazê-lo, porque ela não poderia se desenrolar mesmo com "Two Witches", como ela esperava. 94 estava cedo, então ela veio para Lacrimosa.

 

- A palavra (fachada) é um sinônimo para algo atrás do qual você pode usar para se esconder. Como foi para você tem algum significado?

Tilo Wolff - Para mim, ele tem exatamente o significado do que sabemos do mundo do cinema. Essas cenas são construídas. Fachadas bonitas por trás da qual não tem nada. As fachadas que são construídas para representar algo em que tenta ser nos assuntos externos e dar alguma imagem do que não corresponde com o que você carrega em seu coração. Quero apenas trazer este álbum, essa expressão que a fachada .... O fatal é, todo mundo sabe que este mundo é muito superficial, mas você tomar parte de trás e por isso, mesmo que já é uma fachada em si. Este tem apenas demitiu-se e disse: "é assim mesmo, eu não posso mudar isso." Isso esta me deixando louco de alguma forma, você perguntar às pessoas "Como você está?, E todos respondem" não tão bom ". Mas ninguém faz nada, não muda.

 

- Você diria que a "fachada" da depreciativa e o trabalho de Lacrimosa é impossível?

Tilo Wolff - Sim e não, este álbum é muito dividido, há muitas opiniões diferentes. É, talvez, a primeira vez um álbum inacessível e que não será muito vendido. Você não pode denunciar a fachada ao escrever canções pop. Se alguém tem um problema com este álbum, se ele não está aberto a qualquer pessoa, é absolutamente não ser condenado. Eu pensei muito sobre se eu poderia lançar um álbum com tudo isso, mesmo em nossa cena tornou-se o ritmo acelerado e para dar de entrada. Existem milhares de bandas que realmente só fazem réplicas de música. Eu estava muito curioso para ver se esse público com um álbum como "fassade" pode aceitar em tudo. Estou feliz e ansioso para a cena, que é possível que este trabalho seja tão bem apreciado. Isso me mostrou que tem um monte de pessoas que ainda querem com as coisas, que são descritos no acordo "fachada". "Fassade" é uma questão fundamental de Lacrimosa, que é discutido de uma forma muito tangível.

 

- Em " warum so tief " predomina um trompete a cena, outra vez, um oboé de surpresa. Se uma música em sua mente emerge é claro desde o início que instrumentos são aplicados?

Tilo Wolff - Sim, mais ou menos. Quando eu componho, eu sou ao mesmo tempo organizando. Quando eu componho e há uma melodia, eu ouço automaticamente qual instrumento eu quero tocar esta melodia. Há um monte de músicas que não podem soar lindamente no trompete, mas você pode na guitarra, em seguida, essa iria soar terrível. Algumas músicas que você grita formalmente, dá-me um trompete ou me dar um oboé. “Para mim, é como uma criança em uma loja de brinquedos gigante onde os pais dizem “procure” você o que você quer “. Eu estou sentado aqui e eu de alguma forma possível uso todos os tipos de ferramentas e eu posso deixar completamente fora de vapor aqui. Isto é incrível e me inspirou ainda mais. Se, por exemplo, tocar um oboé e ter escrito algo, que é perto do meu coração, que provocou tantas emoções em mim que eu me prendo ainda nesta canção.

 

- Agora, se você está trabalhando em conjunto com a Orquestra do Estado de Hamburgo ou Berlim, uma troca de idéias terá lugar ou apenas as suas idéias implementadas?

Tilo Wolff - Uma troca de idéias não vai lá ter lugar, porque o problema é, e há dois problemas. Número um, eu não quero entregar a melhor banda ou o melhor registro do mundo, mas eu gostaria de expressar os meus sentimentos. Agora, se alguém vem e entende muito mais de música do que eu e me dar conselhos, então, talvez, como ele esteja certo musicalmente, mas não é exatamente o que eu quero expressar. O outro ponto é que quando você começa a orquestra, tudo se tem sentado pronto em mãos, porque os caras só precisam praticar bem antes. A interação deve ser ensaiada. Quando começamos a tomar, obtiver os seus graus, sento-me com o condutor e falo novamente através dele para todos.

 

- Ao trabalhar com uma tal orquestra, você tem que inspirar as pessoas apenas para a música, ou eles têm essa compreensão, que pode colocar em uma certa canção de rock?

Tilo Wolff - É diferente. A Orquestra Sinfônica de Londres, que estavam muito motivados e que era muito grande. Assim que começou, que eu soube que o gerente da orquestra disse no primeiro dia da gravação, estamos muito satisfeitos hoje para levar com Lacrimosa, porque alguns dos nossos músicos gostam da banda. Eles também foram, embora eles provavelmente são a melhor orquestras do mundo, não foram arrogantes e foram capazes de se adaptar perfeitamente à música. Mas também têm trabalhado com outras orquestras, onde era "trabalho em primeiro, para trazê-los de seu “cavalo alto” para baixo e depois que foi concluido, eles ficam musicalmente tão longe para tocar o que eu quero realmente, e começo a ver , Não é assim que muitas vezes uma questão que é pré-requisito para tocar as notas corretamente, você também deve trazer a alma pura. Este colegas de fora é sempre um novo desafio.

 

- É mais fácil, os elementos clássicos para criar um clima sombrio, como na programação normal de rock?

Tilo Wolff - Desde que eu me fiz assim não tenho nenhuma idéia sobre isso. Eu ouvi muitas vezes, quando começamos, que não seria mais “pesado”. Hoje em dia, as pessoas vêm até mim e dizem que se transportam, mas a musica clássica pura sem guitarras e bateria os agrada mais. Para mim, quase todos os instrumentos oferece muitas possibilidades. Por exemplo, o trompete. A trombeta é uma tremenda quantidade de dor para expressar, mas também pode converter som quase agressivo como em uma banda. Então, você também pode usar uma orquestra. Como agora em "fassade" leva. Na primeira frase, é muito bombástico, muito mal-humorado. No segundo período, é mais ou menos os mesmos instrumentos com um pouco menos do elenco, e é 'ne humor completamente diferente e todos os sons .

 

- Quando eu escuto a canção " stolzes Herz " tomo uma comparação, em que você tem a oferecer muito combativo, no entanto, a três conjuntos do ato de "fassade", seria como a resignação?

Tilo Wolff - Não é bem assim. Vejo a primeira frase como pura raiva, frustração e incompreensão absoluta, que, em seguida, descarrega-se novamente com raiva. "Fassade 2" é, na verdade, um pouco de olhar para dentro, um confronto com o que aconteceu comigo quando eu capturei o tal sentimento e como expresso no primeiro set. E o terceiro movimento começa embora muito poderoso, e então se desenvolve de volta a uma real resignação, e o conselho então termina.

 

- É este seus sentimentos, já não é o lutador Tilo Wolff?

Tilo Wolff - Mas, mas, mas em outras áreas. Nem sempre posso tentar melhorar o mundo. O lutador Tilo há certamente apenas para o ponto que eu só notei que eu posso fazer um pouco, por isso mesmo que eu publiquei um álbum. Pode haver um ou outro povo um impulso de pensamento, mas assim é grande, nada vai mudar, que é precisamente esta renúncia e então eu salvar em vez de salvar a minha energia que eu coloquei desta maneira de expressar e trazer em pequena escala, a investir a vida e não o meu poder para lutar contra essas idéias para mim no meu mundo e meu ambiente.

 

- O que você pensa quando você ouve o seu material mais antigo, como "Einsamkeit" ou "Angst"?

Tilo Wolff - Devo admitir que eu ouço muito pouco Lacrimosa, porque se você faz música que é tão emocional, não é necessariamente o mais relaxante. Os álbuns acima mencionados eu não tenha ouvido por algum tempo e eu me lembro quando eu ouvi "Angst" pela última vez, esta foi uma noite muito triste.

 

- Você se considera um Gotico?

Tilo Wolff - Eu venho da cena e tenho um coração gótico, não importa como eu sempre me visto por fora, isso está em mim. Eu tenho estado muito chateado que a minha aparência era retratado como uma espécie de clichê. Não houve banda gótica que se parecesse com os góticos e de repente veio o Lacrimosa e olha o “tipo” que todos têm descrito "tentar mostrar puramente na cena com o exterior". Isso realmente me fez sentir uma mágoa, e então eu tento de vez em quando certas coisas para descobrir as reações das pessoas. Porque não é sobre a pessoa, não sobre se eu tenho cabelo bagunçado, mas sobre o que está no CD sobre ele e o que eu coloquei nele. Se não for importante o que o Tilo Wolff conta sobre o que ele canta, então eu tenho um problema. Porque nós sabemos de outras bandas que se satisfaz de deter menos letras, mas de fazer músicas muito muito escândalosas e assim por diante. Com certos desenvolvimentos na cena que eu posso começar com algo pequeno, por exemplo, toda a distinção entre gótico, Electro ou Gothic Metal. Quando eu vim para a cena, estávamos todos em uma grande família, e hoje somos vários grupos pequenos. Hoje o aspecto mais importante é o que está por trás disso tudo.

 

- Na verdade, existem muitas bandas com uma visão "Gothic" quase como estigmas. Eles tentam afastá-los, embora se saiba que a maioria de seus fãs o vem como da cena, o que pensa referente a você?

Tilo Wolff - É por isso que quase não há definição de Gothic. Quero dizer, rock gótico, que são bandas como Sisters, Field , etc., e todos dizem que não devem ser chamados de Gothic, mas você pode. “Quando eu coloquei-me e disse: “Eu venho da cena gótica, Fazendo Gothic” você respondeu que eu não tenho nada a ver com essa cena, por causa do que eu faço “. Mas quando eu disse: "Eu não sou Gothic, Lacrimosa é um estilo em si", me respondem “por que você quer se excluir da cena?”. Para mim é como se eu gostasse de usar elementos de jazz, e então eu usarei. E se eu quiser usar um órgão, eu faço o mesmo, então, mesmo se todos gritassem "oh, é cliché," eu não posso mudar isso, Eu mesmo não posso dar qualquer definição de qual estilo é Lacrimosa, só é importante que você nem sempre ve o interior com estes selos ao redor, e querem colocar tudo em uma gaveta. Eu comentei recentemente em uma entrevista nal qual me disseram uma vez que se tivéssemos a oportunidade de nos apresentar como nós queremos então se eu não teria nenhum problema para aparecer no “Top of the Pops”. Eu, infelizmente, fui um pouco diferentes dos “padrões”. Seguindo o lema "nós tivemos a chance de aparecer lá, nós poderíamos fazer isso." Mas isso é algo completamente diferente. “Top of the Pops” nos chamou várias vezes, mas é sempre apenas a questão de como você se apresenta. Você toca uma música mais rápida, como um número de faixa de apoio, ou pode fazer, como você desejar e retratar-se ou vão impedi-lo de alguma coisa? Não tenho nenhum problema com isso se Lacrimosa entrou ou não nas paradas ou se outras bandas da cena estão nas paradas. Pelo contrário, porque quando tentamos manter esta pequena cena, estamos dominados pela indústria da música inteira que é o que nós realmente não queremos. Eu só não entendo porque algumas bandas, que são pouco conhecidas, se afastam e dizem que “agora eles são Popstars". Por outro lado, não devemos esquecer o que você mesmo já disse, que muitas bandas que eram maiores, eram estrelas da música pop e em seguida fizeram coisas muito “engraçadas”. Você deve escolher o seu caminho e permanecer fiel a si mesmo, isto é, para o músico, não importa quantos CD’s eu vendo, então eu estou começando agora, não para dominar a rádio com músicas curtas.Mas meu publico vai me lembrar de que eu escutarei essa música quando eu conseguir alguma coisa, mesmo que eu seja a única pessoa que a ouve.

 

- O problema é que o público em geral é lançado neles durante todo o dia várias canções pop de qualidade inferior. Ou é suavizado com coisas como RTL2 "Popstars"? (OBS: ETL2 é uma rádio)

Tilo Wolff - Bem, é claro que também é difícil escapar disso. Você chega em casa depois de seu trabalho e não quer saber de nada, você quer toma banho. Então você tem RTL2 livre e isso é engraçado, meninas e meninos nitidamente jovens que de alguma forma ficam lá somente saltitando. O conjunto disso tudo é bem pensado. E depois desse show de pop star em vez de ouvir qualquer merda que seria ainda mais importante que isso. Você realmente não tem chance de encontrar acesso para a cena, se você não tem quem te diz ou gasta seu tempo com revistas ou em ouvir uma banda em algum momento. Eu acho que tem um monte de gente por aí e que poderia ser muito mais fácil o acesso ao local a isso, eles simplesmente não sabem parar para fazer isso. “Tantas vezes, as pessoas após o concerto vêm a mim e dizem:” Eu estou aqui por causa de meus pais, meus amigos, meus vizinhos que me apresentaram, eu simplesmente não ouvia esse tipo de música mas realmente gostei “ ou então que não conhecia ou que adorou e gostaria muito de ouvir mais do mesmo. "

 

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

April 12, 2015 at 9:59 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251

Data: 1999

Fonte: SlyFox 

Tradução: Karina Pinotti

Entrevista com Anne Nurmi.

 

Nesta primavera, um novo Single da banda alemã Lacrimosa “Alleine Zu Zweit”. Não muito longe do lançamento oficial do novo álbum Elodia. Mas, graças à não inteiramente razoável etiqueta política da Hall Of Sermon (por sinal, dirigida por ele próprio Tilo Wolff - o líder do Lacrimosa), este álbum você pode facilmente comprar em Moscou, assim vamos nos aprofundar nisso, especialmente porque será a principal discussão deste artigo - uma entrevista com Anne Nurmi, cantora e autora de vários textos fala sobre o novo álbum.

A principal novidade foi a notícia de que o novo álbum é tocado com Orquestra Sinfônica de Londres, o que torna a música da banda muito mais sinfônico do que nunca.

 

- Como foi que aconteceu para que a orquestra bastante conhecida começasse a gravar com a banda de metal alemã? E por que a escolha foi essa orquestra?

 

Anne - Nós sentimos que esta é a única orquestra que pode desempenhar com sucesso a nossa música, então fomos para entrar em contato com eles. Cada músico nesta equipe tem anos de aulas de música, que nos dá alguma confiança de que seremos capazes de gravar o material bastante rápido, também é muito importante, por causa do nosso orçamento limitado. Estes músicos são artistas incríveis e quando tocam você pode ouvir todos os sentimentos que eles experimentam em nossa música. Alguns musicos da orquestra sequer conheciam Lacrimosa, e eles não têm que pedir para explicar o que é exigido na música. Estamos plenamente satisfeitos com o trabalho com essa equipe, e estamos muito satisfeitos de gravar no estúdio Abbey Road, foi como um sonho se tornado realidade.

 

 

- Continuando o tema, como a banda gravou com uma orquestra sinfônica? Era algo novo, ou a velha forma?

 

Anne: - Claro, um grande papel desempenhado pelo tamanho da orquestra. Temos feito experiências com pequenas orquestras. Com uma pequena equipe você tem uma vantagem muito grande, não é necessário que todos de uma vez estejam presentes na gravação, é melhor para gravar todas as partes separadamente. Era a única maneira de lidar, e que a usamos. Gravamos primeiro no estúdio em Abbey Road. É grande o suficiente para acomodar todos os músicos e eles têm uma excelente acústica.

 

- Uma pergunta que sempre surge para responder, os músicos profissionais gostam da parte metal?

 

Anne - eles gostam de nossa música, eles sentiram que garantiram uma boa versão final.

 

 

- É bom ouvir isso, mas em geral, isso não é surpreendente uma vez que Lacrimosa comparado com outros grupos, tem um compositor muito bom em sua música. Eu acho que é possível apenas Tilo Wolff colocar tudo como um monumento, portanto, algumas falhas podem se transformar em segurança aos olhos dele, mesmo que pareçam falhas. Interessante, mas não acha que o grupo pode reinterpretar músicas antigas com colaboração de orquestra?

 

Anne - Tudo é possível, mas não vamos fazer isso, assim como sair em turnê com uma grande orquestra.

 

- Realmente, eu acredito que você não deve tocar no material antigo, deixar que permaneça no passado, e o grupo deve seguir em frente. Sabe-se que a Orquestra de Praga trabalhou em estreita colaboração com outra banda de metal conhecido. Em entrevista após o seu último álbum "XIII" Peavy Wagner disse que os líderes da equipe o ajudou na composição de músicas, em particular com uma introdução sobre o álbum. E quanto a tais negociações com músicos clássicos com o grupo Lacrimosa seria possível?

 

Anne - Tilo Wolff escreveu quase todas as músicas. Existem apenas algumas exceções, as músicas que eu canto, nós escrevemos juntos. Arranjos orquestrais também são feitos por ele teve apenas algumas pequenas coisas que Gottfried Koch o ajudou no estúdio em Hamburg.

 

 

- Existe alguma diferença entre escrever músicas para tocar com uma orquestra ou sem?

 

Anne - Praticamente nenhuma. Arranjos orquestrais nasceram espontaneamente, por isso, não planejamos as músicas específicas. Nós escrevemos sem quaisquer quadro em um momento em que a inspiração vem, e, portanto, não podemos pré-planejar o que teria algo a ver com uma grande orquestra. Nós escrevemos uma música atrás da outra, e é muito surpreso que nós precisamos de tantas ferramentas, a única coisa que nos move na composição, é nossos sentimentos.

 

- Eu acho que isso é claro, o tempo para prestar atenção nas letras. A maioria das canções escritas em língua alemã, que é compreendido por muitos, inclusive eu, é mais difícil do que o Inglês. Qual é a música?

 

Anna: Alleine Zu Zweit sobre a relação entre os dois parceiros quando eles mudam ao longo dos anos. Eles já não prestam qualquer atenção uns aos outros e, no final, não sabem como dizer um ao outro sobre seus sentimentos. Eles são cegos demais para notar as mudanças que surgiram neles, e que eles têm desenvolvido em duas direções diferentes, e não há mais como voltar ao passado.

 

 

- Um texto muito interessante, mas a questão é o que poderia motivar músicos para escrever uma poesia?

 

Anne - Todos os eventos ou experiências que nos aconteceram: assistia a filmes, ouvir música, amizades e muito mais. Nós dois nos damos bem até os menores acontecimentos com os olhos abertos e desfrutamos desta vida. Vida é nossa maior inspiração. Nós escrevemos as letras em diferentes situações, porque a inspiração não se preocupa com a escolha do local ou da hora. Escrita é como terapia, que muitas vezes nos ajuda a entender a nós mesmos. Você libera os seus pensamentos para fora com sua música, e esses pensamentos aparecem de uma maneira completamente diferente.

 

- No EP antes do álbum, há um remix de uma música antiga do Lacrimosa, Copycat, feito pela banda Samael. Ao adicionar música de componentes eletrônicos foi um pouco aliviado, ou foram reforçadas por alguns elementos de alguma frustração em relação à versão antiga. Anne o que pensa sobre esta versão?

 

Anne - Os caras do Samael refez toda a música em sua própria maneira. Reorganizar ferramentas, acrescentou alguns elementos interessantes, e obteram uma composição completamente diferente.

 

 

- Acabando com o tema do novo material, eu gostaria de saber exatamente o que mudou no novo álbum em comparação com o anterior, de acordo com Anne?

 

Anne - Lacrimosa não tem nenhum álbum que seja semelhante a outro. Sempre, é claro, não é algo assim como uma regra, mas a nossa música está em constante evolução, como tudo em nossas vidas. O novo álbum também difere de seus antecessores. Primeiro de tudo, ele é o complexo, mais equilibrado e mais ambicioso que todos os antecessores. Mas por outro lado é mais emocional, nós não cuidar disso durante a gravação. É difícil dar uma descrição oral do nosso álbum, porque cobre uma grande área da música, que vai do rock com guitarras pesadas e terminando com o canto de coral. Nós também usamos um monte de novas ferramentas para nós. A única coisa que posso dizer é que eu recomendo a todos ouvi-lo.

 

- O próximo tema será os planos do grupo para o período imediatamente após o lançamento do álbum. Será que vai haver uma turnê?

 

Anne - Vamos começar nossa turnê em setembro e esperamos visitar uma área muito grande, nós estamos indo para visitar um país onde não fomos, em geral, o passeio será longo. As datas dos shows ainda não foram aprovadas, mas quando isso acontecer, eles aparecerão em todas as edições.

 

 

- Será que vai haver um concerto com a Orquestra Sinfônica de Londres?

 

Anne - Não, isso é impossível. Para isso, gostaríamos de tocar apenas em grandes salas de concertos, estádios ou em locais com um enorme palco. Teríamos de usar cerca de uma centena de músicos que só nos levaria à ruína financeira. Nós apenas fizemos novos arranjos de nossas músicas, como costumamos fazer antes de qualquer tour. Esta será uma grande surpresa para o público a ouvir o som de nossas canções no decorrer do concerto. Por exemplo, vamos substituir guitarras e violinos, etc., etc. Estamos abertos a novas ideias.

 

- Pela primeira vez, encontraram um tal conceito substituindo as orquestras sinfônicas. Muitos falam sobre uma variedade de máquinas DAT e outras coisas, mas teria que refazer todas as músicas? Eu acho que este trabalho gigantesco não seria em vão, e a banda iria lançar um novo álbum ao vivo neste inverno. Mas esta é apenas a minha suposição. No final deste artigo, você pode ver que essa é mais do que uma banda de metal com uma vocalista feminina, Anne Nurmi, Lacrimosa gravou no estúdio ou no palco na frente de milhares de pessoas?

 

Anne - Nós gostamos de tocar, porque é muito interessante ver a reação do público a sua criatividade diretamente. À espera da reação do público ao novo álbum sempre se transforma em um horror, e eu acho que se nós não recebemos muitas cartas de fãs, que nós teriamos sido mesmos pessoas infelizes. Fazemos música para nós, em primeiro lugar, mas precisamos de feedback dos nossos ouvintes, para que possamos continuar a lançar o nosso trabalho para o público em geral. O melhor que pode ser, por isso é bom para dar um concerto quando o próprio público ajuda a criar o clima da noite. Se nos sentimos um eco na alma do público, esse show é simplesmente inesquecível para nós e para o público. No estúdio, você tem muito mais foco em coisas técnicas e pensa sobre como tocar suas músicas com uma variedade de músicos convidados, que provoca mais cansaço do que prazer. É claro que no estúdio nós temos trabalho, mas à luz da sua pergunta, minha resposta é - muito mais o que recebemos dos concertos.

 

 

- Eu acho que neste momento pode ser colocado a considerar este apelo como um convite para assistir ao show do Lacrimosa. Podemos apenas esperar por tal possibilidade, vamos.

 

--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

May 5, 2015 at 9:21 PM Flag Quote & Reply

Karina Bruschi Pinotti
Site Owner
Posts: 251
ESSE CONTEUDO FOI TRANSFERIDO PARANO NOVO SITE DO FANCLUBE O FORUM DO LACRIMANIACOS PERMANECE E NOVOS CONTEUDOS SERAO POSTADOS LA Cadastre-se www.lacrimaniacosbrasil.com.br
--

Karina Pinotti - Presidente Fan Clube Lacrimaniacos

August 15, 2017 at 9:56 PM Flag Quote & Reply

You must login to post.